terça-feira, maio 09, 2017

PROCURA-SE UMA MÃE: ANA ALVES MARTINS




O dia 04 de outubro de 1984 marca o momento em que eles se separaram. Ana Alves Martins, na época com 25 anos, nascida em São Miguel, Estado do Piauí, empregada doméstica em Brasília, muito pobre e sem ter como cuidar de uma criança sozinha, resolveu - após conversas com uma conhecida - dar o seu filho para adoção a um casal estadunidense que estava de férias no Brasil. 
Esse seria o último dia que o menino, nascido naquele mesmo ano no Hospital Gama, na capital federal, sentiria os braços de sua mãe biológica. A partir de então, ele se mudaria com sua nova família para os Estados Unidos da América e nunca mais teria contato com o país natal. 
O interesse por encontrar sua mãe biológica, no entanto, sempre o acompanhou. De modo que recentemente, sabendo que a ciência genética possibilitou a criação de uma ferramenta para ajudar genealogistas em sua busca pela história familiar (o teste possibilita tanto a descoberta da ancestralidade étnica como o encontro com parentes genéticos), o jovem, agora com 33 anos, reacendeu seu desejo de conhecer sua família biológica e encontrar sua mãe (sobre quem sabe apenas o nome constante nos documentos de adoção) e resolveu fazer o teste de DNA com três companhias nos EEUU, uma dessas companhias também havia sido responsável pela decodificação do meu genoma. 
Há uma semana saíram seus resultados e a companhia pela qual eu e ele fizemos o teste cruzou nossos dados genéticos nos pondo na categoria de primos de 3a geração por minha família materna. Sim! Pela primeira vez em toda a sua vida após ser adotado o rapaz entrava em contato com um parente de sangue! Razão porque seu primeiro e-mail para mim tinha palavras tão cheias de espanto e abundava de felicidade.
Por não sabermos o nome de seu pai ou seus avós maternos e paternos, ainda não conseguimos encontrar nosso ancestral comum. Enquanto tentamos encontrá-lo nós dois vamos contando com a ajuda dos amigos e leitores do blogue na busca pela mãe desse meu primo recém-encontrado, com o coração ardendo de esperança.
O meu pedido aqui, amigos, é que cada um de nós compartilharmos o link deste post em nossas páginas do Facebook, Twitter, etc. e peçamos aos nossos amigos que façam o mesmo. Assim, quem sabe, vocês e eu possamos contribuir para que o dia das mães de uma família seja menos doloroso e tenha lágrimas apenas de alegria. 
Contamos com sua ajuda - muito, muito obrigado mesmo!

Procura-se ANA ALVES MARTINS - de São Miguel, Piauí, nascida por volta de 1959, empregada doméstica em Brasília, DF, na década de 1980. 


Muito obrigado. 

Nenhum comentário:

Tervetuloa Turkuun! Turku, a cidade da margarida gigante.

“Perplexidade” – essa é a palavra que toma conta de nós quando ouvimos falar de ataques terroristas. Pois, é difícil entender, por exem...